O aqui e o agora na visão de Jung

Se existe algo comum na atualidade é a incrível habilidade das pessoas de não conseguirem permanecer no aqui e no agora. Estamos sempre preocupados com o dia de amanhã – Jung já percebia isso em seu tempo – pensando em qual balada iremos, se vamos conseguir ir bem na reunião, se atenderemos às expectativas da pessoa que vamos encontrar amanhã. Enfim, estamos sempre tentando nos preparar para o amanhã.

Um dia na minha análise, usei essa desculpa da necessidade de estar preparado para algo ou estar me preparando para determinada situação e na mesma hora meu analista respondeu – brincando com o “estar me preparando” – deve ser dura estar “pré parando” para algo que nem começou. Isso ficou martelando na minha cabeça durante semanas. Como me preparar é comum na minha rotina diária, pensar que estou me pré-parando para tudo, me faz concluir que eu nunca estarei de fato pronto para algo.

Depois de muito tempo refletindo sobre isso, a melhor resposta que encontrei foi a seguinte fala do Jung sobre o aqui e o agora:

A coisa mais importante é o aqui e o agora. Este é o momento eterno, e se não o percebes, perdeste a melhor parte da Vida, perdeste a percepção de que és o portador de uma Vida contida entre os pólos do um futuro inimaginável e de um inimaginável e remoto passado. Milhões de anos e incontáveis milhões de antepassados trabalharam para este momento, e tu és o cumprimento deste momento. Tudo o que passou não é mais realidade, e tudo o que será ainda não é realidade. A realidade é este momento. Olhar a vida como se ela fosse mera preparação para coisas futuras é como se não fosses capaz de saborear sua refeição enquanto está quente. Esta é a verdadeira doença do nosso tempo: todos estão em primeiro lugar preocupados com o futuro. Admite-se que as coisas Vão muito mal, de modo que todos tentam pular fora delas, e por isso nunca progridem. Deve-se tomar cada momento como o momento eterno, como se nada estivesse para mudar, sem antecipar um remoto futuro. O futuro brota sempre daquilo que existe agora, e não poderá ser sadio se brotar de solo mórbido; se somos mórbidos e não percebemos isso aqui e agora, é claro que acabaremos construindo um futuro doentio. Todos nós estamos vendo-o nas condições históricas atuais; as coisas estão tão más no presente porque Viveram na antecipação de algo que viria, sempre na expectativa da era dourada, de modo que as coisas caminharam de mal para pior. Por conseguinte, na psicologia, na Vida do indivíduo, é de capital importância que nunca pensemos a Vida desmerecendo o agora, com a esperança de algo que sobrevenha no futuro. Esteja certo de que a Vida nunca chegará se pensas desse modo. Deves viver a Vida num espírito tal que concretizes em cada momento a melhor das possibilidades.

Eu entendi que estar pronto é estar para a vida, é viver a vida com tudo que ela nos oferece. As vezes as vida nos impõe duros desafios, mas tudo bem, porque sei que é assim que a vida se desenrola. Saber que posso passar por tudo que a vida me oferece, é saber que estou vivo. O mesmo vale para o passado, estar preso ao passado talvez até seja mais paralisante, afinal, estamos longe do que já foi vivido, do que já teve seu tempo.

Desta maneira, o que Jung nos traz é a sabedoria de construir o futuro no aqui e no agora, porque não posso construir nada sem base e estruturas fortes para suportar as diversidades que ainda possam surgir.

referências
JUNG, Carl Gustav. 1997. Seminário Visions.
Daniel Gomes on EmailDaniel Gomes on FacebookDaniel Gomes on InstagramDaniel Gomes on Youtube
Daniel Gomes
Daniel Gomes
Psicoterapeuta Junguiano
Especialista em psicologia junguiana e psicologia transpessoal
Master em programação neurolinguística - PNL
Formação em processo de memorias profundas - DMP

COMPARTILHAR

1 Comments

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.